TRIPARTITE EXTRAORDINÁRIA: 18/11, 15h30 (NT 01)

Saudações acadêmicas.

A Diretoria da SindUnivasf e o Comando Docente convocam, em caráter extraordinário, a realização de uma REUNIÃO TRIPARITE DE PAUTA ÚNICA:

“Direito de Greve: arrocho pedagógico e assédio moral”

Tanto docentes quanto discentes na Univasf estão em greve. O Conselho Universitário tem adotado uma linha de suspensão ou adequação dos calendários salvaguardando este direito. As Assembleias dos Professores da Univasf tem deliberado pelo respeito aos estudantes, e não força-los ou coagi-los a assistir aulas. Até decisão em contrário, este é o posicionamento oficial e o compromisso moral da categoria docente com a categoria discente.

Além disso, os professores eles próprios estão em greve. E independente da condição de efetivo, substituto, temporário ou em estágio probatório, tod@s docentes têm direito à greve.

Infelizmente, tem chegado ao Comando Docente e ao Comitê Unificado dezenas de queixas de que no campus Petrolina há discentes tendo aulas de todas as disciplinas. Ou aulas extras pela manhã, tarde, noite e sábados chegando, em alguns casos, ao ponto de encerrar a disciplina no dia 25/11.

Esta conduta, caso comprovada, significa um descaso total com os direitos dos discentes e com as questões pedagógicas. Qual o aproveitamento possível de ensino e aprendizagem nestas condições? Convocamos a administração superior, a PROEN e integrantes do Fórum de Coordenadores, além de toda a comunidade univasfiana, a debater e propor encaminhamentos para esta situação. Que não está sozinha.

Também temos recebido, enquanto Comando, queixas de que até mesmo pelo WhatsApp, um veículo de foro pessoal, docentes estão sendo coagidos e constrangidos como, por exemplo, o seguinte texto: << Solicitamos novamente, aos que não assinaram o documento manifestando não adesão à greve ou não enviaram e-mail à coordenação a respeito, que se manifestem respondendo a este e-mail, para que a coordenação possa enviar nova correspondência oficial à Secretaria de Gestão de Pessoas (SGP) informando os nomes dos professores que estão dando aulas normalmente>>. Caso comprovado, além de ilegal, por configurar assédio moral.

Estas condutas, se comprovadas, são abusivas quer com os docentes, quer com os discentes. E também serão tema da próxima assembleia de professores da Univasf (23/11, 14h. Doravante, as assembleias gerais ordinárias de greve serão às quartas).

Em particular no que tange aos discentes, também a administração da Universidade e os órgãos afins devem atuar no sentido de resguardar seus direitos. Arrocho pedagógico a esta altura do século XXI é impensável, ou deveria ser.

Esperamos que tod@s interessad@s compareçam e que os fatos sejam estabelecidos. Está em jogo algo muito mais sério do que ser contra ou a favor de greve. Está em jogo a nossa capacidade de respeitar acordos e decisões. O que for resolvido terá impactos sobre qual o nosso caráter enquanto universidade durante décadas.

EM SUMA:

REUNIÃO TRIPARTITE EXTRAORDINÁRIA, 18/11/2016, 15h30.

PAUTA ÚNICA, “Direito de Greve: arrocho pedagógico e assédio moral”.

Att,

Comando de Mobilização Docente.comite-unificado-panfleto

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: